Chuva de Estrelas | Meteoros

leonidsO post de hoje, fala-nos das “Chuvas de Estrelas”… Muitas pessoas não sabem, mas há várias entradas de poeira na atmosfera que originam as chuvas de estrelas e acontecem em diferentes altura do ano e todos os anos.
O texto abaixo, não é da minha autoria, mas achei que descreve bem o fenómeno. (Parabéns ao autor)
“…
Os meteoros, normalmente conhecidos como estrelas cadentes, consistem em pequenas partículas sólidas vindas do espaço que entram na atmosfera terrestre a grande velocidade, deixando para trás um rasto brilhante resultante da fricção e da ionização gerada nas camadas superiores da atmosfera pelas altas temperaturas que provocam a sua combustão. Este fenómeno pode ser observado a olho nu, todos os dias e a qualquer hora, em locais com boas condições de visibilidade, isto é, longe de fontes luminosas (poluição luminosa). Para além de se poderem observar alguns meteoros por hora, existem certas alturas propícias em que se pode observar centenas de meteoros por hora – as chamadas “chuvas de estrelas”. Estes períodos acontecem quando a Terra, no seu movimento de translação em redor do Sol, atravessa regiões de grande concentração de pequenas partículas rochosas (meteoróides) deixadas por cometas ou asteróides que visitam o nosso Sistema Solar. Raramente, alguns pedaços rochosos maiores atravessam a atmosfera e chegam à Terra – meteoritos – provocando uma cratera de dimensões variáveis.

Na altura das chuvas de estrelas, nota-se que os meteoros parecem provir de uma mesma zona da esfera celeste, zona esta que se chama Radiante. Esta ilusão de que os meteoros parecem provir de uma mesma zona é ilusão de perspectiva, uma vez que os meteoros atingem a atmosfera terrestre descrevendo trajectórias paralelas entre si. É o mesmo efeito de estarmos entre duas estradas e elas, no horizonte, parecerem unir-se formando uma só. Cada chuva de estrelas recebeu um nome consoante a localização dos seus radiantes em relação às constelações ou às estrelas mais próximas – por exemplo, temos as Aquáridas que provém da parte norte de Aquário, as Perseidas, que provém de Perseu, e por aí adiante… As diversas chuvas de estrelas apresentam uma grande diversidade de número de meteoros que atravessam a atmosfera por hora, duração da actividade, cor, brilho, velocidade a que se deslocam e periodicidade.

Aqui encontra-se um calendário das chuvas de meteoros mais importantes:

Nome da Chuva Período de actividade Radiante
Quadrântidas 2 – 5 Janeiro Entre Boieiro e Ursa Maior
Aquáridas 5 – 6 Maio Na parte norte de Aquário
Perseidas 11 – 13 Agosto No Perseu
Oriónidas 20 – 23 Outubro Entre Orionte e Gémeos
Táuridas 2 – 5 Novembro Entre as Plêiades e as Híades
Leónidas 17 – 18 Novembro Perto da cabeça do Leão
Gemínidas 13 – 14 Dezembro Perto do Castor, nos Gémeos

…”

“Um passeio pelos céus”, de Milton Heifetz e Will Tirion, Gradiva

~ por aia2009 em 21 de Janeiro de 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: