Catálogo de Messier online

Por vezes, nas sessões de Astronomia no Verão, alguns participantes um pouco mais interessados no assunto e que até já leram alguma coisa, perguntam-nos: “Onde está a M 51? Onde está a 57? Onde está a 31?”

O post de hoje, fala do Astrónomo Francês que identificou vários objectos difusos e da importância deste catalogo nos dias de hoje e na antiguidade.

Deixo ainda um site que apresenta as imagens de todos estes objectos do “Catálogo de Messier” e informações sobre esse mesmo objecto celeste. (ver aqui)

Quem era Charles Messier?

Charles_MessierCharles Messier foi um Astrónomo Francês que viveu entre os anos de 1758 e 1782.

Ao longo de algum anos, compilou uma lista de 110 objectos difusos que poderiam ser confundidos com cometas ao serem observados através dos limitados instrumentos disponíveis na época. No século XVIII, a descoberta de cometas era um dos principais interesses na investigação da Astronomia e poderia trazer muita fama e prestígio aos seus descobridores. No entanto, com o passar do tempo o Catálogo de Messier tornou-se mais conhecido como uma vasta colecção dos mais espectaculares objectos de observação. As nebulosas, aglomerados e galáxias descritas no catálogo são alvos predilectos para observação, fotografia e estudo por parte dos astrónomos amadores e profissionais de todo o mundo.

O Objetivo do Catálogo

anel_de_lira_e cometa

Nas palavras do próprio Charles Messier:

“O que me motivou a elaborar o catálogo foi a nebulosa que eu descobri logo acima do “chifre” mais austral da constelação de Taurus ( o Touro ) em 12 de Setembro de 1758, enquanto procurava observar o cometa daquele ano … ”

“Esta nebulosa tinha uma tal semelhança com um cometa, na sua forma e brilho, que procurei encontrar mais objectos destes, de modo que os astrónomos não confundissem estas nebulosas com cometas no início do seu brilho que estivessem visíveis. Posteriormente, realizei observações com telescópios refractores apropriados para a busca de cometas, e este é o propósito que tive ao montar o catálogo… ”

link’s

No site abaixo, poderá ver as imagens de todos os objectos celestes do “Catálogo Messier”:

http://www.12dstring.me.uk/messiercatalogue.htm

No blog abaixo, poderá ver algumas imagens de objectos celestes do “Catálogo Messier” feitas pelo autor:

http://messiercatalog.blogspot.com

Cronologia da catalogação dos objectos:

http://www.oal.ul.pt/oobservatorio/vol4/n1/vol4n1_7.html

Livro em Português:

IAOAFerreira, Máximo e Almeida, Guilherme de — Introdução à Astronomia e às Observações Astronómicas, Plátano Editora, 7.ª edição, Lisboa, 2004.

Ver índice do livro aqui: http://www.platanoeditora.pt/files/271/963.pdf

Ver introdução do livro aqui: http://www.platanoeditora.pt/files/271/966.pdf

Catálogo de Messier

catalogo_de_messier

.

.

.

Abreviações utilizadas no Catálogo:

Agl. – Aglomerado

Gal. – Galáxia

Neb. – Nebulosa

Rem. – Remanescente

Abreviações utilizadas no campo Class:

No campo CLASS (Classificação do Objecto) foram utilizadas as abreviações correspondentes a diversos critérios de classificação variando com o TIPO de objecto.

Aglomerados abertos – sistema de classificação de Shapley ( tipos a – g )

Aglomerados globulares – sistema de Shapley / Sawyer Hogg ( classes I a XII )

Galáxias – sistema de classificação de Hubble / De Vacoulers

Nebulosas – E ( emissão ) , R ( reflexão ) , ER ( emissão e reflexão ), P ( planetária )

Notas:

Objecto M24 : Na verdade não se trata de um aglomerado.

O que Messier observou nesta posição é na verdade apenas um pseudo-aglomerado, uma região densamente povoada de estrelas espalhadas por milhares de anos-luz através da nossa linha de visão, e visíveis através de uma “janela” por entre nuvens de poeira interestelar. No entanto, algumas fontes registam este objecto como o aglomerado aberto NGC6603, que fica nas proximidades. As evidências apontam que o registo original de Messier se referia na realidade a esta região de alta densidade de estrelas, ou nuvem estelar, visível a olho nu sobre a Via Láctea.

Objecto M40 : Trata-se da estrela dupla Winnecke 4, descrita por Messier enquanto ele procurava por uma nebulosa, descrita erradamente por Johann Hevelius, que deveria estar nesta posição.

Objecto M73 : Este objecto, descrito por Messier, não se trata de um verdadeiro aglomerado, mas sim de um asterismo, ou seja um grupo de estrelas aparentemente agrupadas mas que não estão fisicamente associadas. Messier descreveu a existência de uma pequena nebulosidade envolvendo estas quatro estrelas, mas parece ter cometido um erro neste sentido, já que as melhores fotografias modernas não registam nenhuma nebulosidade neste grupo. Este engano pode ser justificado pelas grandes limitações técnicas dos telescópios utilizados na época de Messier.

Objecto M102 : Existe alguma polémica em torno do Objecto M102. O próprio Messier e o seu assistente Mechain admitiram algum tempo após a publicação do Catálogo que devido a um engano o objecto registado como M102 seria na verdade uma repetição do objecto M101 ( galáxia NGC5457 ). No entanto, acredita-se actualmente que o objecto observado foi de fato inédito e deve tratar-se da galáxia NGC5866 na constelação de Draco, o Dragão.

Observação :

Kiloparsec (kpc) : Unidade de distância para objectos distantes. Corresponde a mil parsecs ( pc ).

Cada parsec equivale a 3,26 anos-luz.

1kpc = 3260 anos-luz

~ por aia2009 em 17 de Agosto de 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: