Buraco negro em fuga

Ao realizar o seu projecto final de graduação, uma estudante universitária da Holanda descobriu um estranho objecto que pode ser um enorme buraco negro, deslocando-se a uma velocidade de mais de 1 bilhão de quilómetros por hora e com uma massa mais de um bilhão de vezes maior do que a do Sol.

Marianne Heida estava a comparar milhares de fontes de raios X, escolhidas aleatoriamente, com a posição de galáxias, no Instituto de Pesquisa Espacial da Holanda (SRON), quando percebeu um ponto luminoso “no lugar errado” – nas margens de uma galáxia e não no centro.

Fusão de buracos negros

Normalmente, cada galáxia contém um imenso buraco negro no seu centro. Embora os buracos negros não reflitam nenhuma luz, algumas vezes eles aparecem brilhantes na faixa dos raios X.

Mas quando dois buracos negros se fundem podem surgir também novos buracos negros “em recuo”, que são expulsos da galáxia em alta velocidade.

Esta é uma das hipóteses para explicar o estranho corpo celeste. Mas não está descartado que ele seja um tipo de supernova muito grande ou uma ULX (Ultra- Luminous X-ray Sources), uma fonte de raios X ultra luminosa, com emissões fortes demais para serem um “buraco negro normal”.

Nesta semana, a NASA anunciou também a descoberta de uma estrela em fuga, numa velocidade de 400 mil km/h.

Mais detalhes

O objecto encontrado numa galáxia distante da Terra, a meio bilhão de anos-luz é tão brilhante, quando observado sob raios X, que só pode ser comparado com outros buracos negros super brilhantes localizados no centro do sistema.

“Achámos aquele estranho tipo de fonte de raios X, mas para estes objetos, antes de mais nada precisamos de medidas precisas do satélite Chandra, da Nasa, para as localizarmos com mais detalhes”, afirmou Heida.

Desconhecidos

Os cientistas ainda têm pouco conhecimento sobre buracos negros em recuo e acreditam que isso pode ajudar a entender as características destes objetos antes de uma fusão entre dois deles.

Os estudos podem ajudar a descobrir se os super buracos negros no centro de galáxias são o resultado da fusão de vários buracos negros menores.

O trabalho de Marianne Heida foi aceite para a publicação na revista especializada The Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

Bibliografia:

A bright off-nuclear X-ray source: a type IIn supernova, a bright ULX or a recoiling super-massive black hole in CXO J122518.6+144545
Peter G. Jonker, Manuel A.P. Torres, Andy C. Fabian, Marianne Heida, Giovanni Miniutti, Dave Pooley
The Monthly Notices of the Royal Astronomical Society
May 2010
Vol.: Accepted

~ por aia2009 em 14 de Maio de 2010.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: