Countdown para o último voo dos vaivéns da NASA

 

Apertem os cintos, o último voo dos vaivéns da NASA está marcado para 8 de Julho. O Atlantis vai realizar a sua missão de 12 dias até à Estação Espacial Internacional (ISS) e fechar assim um ciclo de 30 anos.

 

A data foi marcada nesta quarta-feira pela Agência Espacial Norte Americana. Vai ser a 135ª missão dos vaivéns e a 33ª do Atlantis, que sairá da base espacial Kennedy, na Florida, às 16h26 (hora de Lisboa), a 8 de Julho. Estima-se que a missão atraia 750.000 pessoas ao local.

Depois da viagem a nave vai ser reformada, como aconteceu com os vaivéns Discovery e Endeavour. O final do programa vai poupar à NASA 40 mil milhões de dólares por ano (27,72 mil milhões de euros).

O Atlantis ficará acoplado à estação durante oito dias, vai reabastecer os armazéns da ISS com 3,5 toneladas de material, o que inclui um ano de alimentos. Esta quantidade impressionante de bens alimentares é um balão de ar para a NASA, que espera vir a poder contar com viagens feitas por máquinas construídas por empresas espaciais privadas.

Até lá, a agência vai ter que pagar à Roscosmos, a Agência Espacial Russa, para levar os astronautas norte-americanos nas cápsulas Soyuz até à ISS. Cinquenta milhões de dólares (34,63 milhões de euros) é o custo de cada viagem.

“Este voo é incrivelmente importante para a estação espacial. A carga que vai para cima é realmente necessária”, disse em comunicado o chefe do voo da NASA, Bill Gerstenmaier.

A tripulação deste último voo, composta pelo comandante Chris Ferguson, o piloto Doug Hurley, e os especialistas Sandy Magnus e Rex Walheim, é mais pequena do que o normal. A medida foi pensada para o caso de haver problemas com o vaivém. Se o Atlantis não puder trazer os astronautas de volta para a Terra, a NASA não têm um vaivém suplente de resgate. Neste cenário, os viajantes terão que voltar numa nave russa, que acomoda menos pessoas.

Na NASA, vivem-se as últimas semanas de uma história que começou em 1972, quando o Presidente Nixon deu luz verde para a construção da frota. A 12 de Abril de 1981 foi lançado pela primeira vez o vaivém Columbia. Depois, foi a vez do Challenger, Discovery, Endeavour e, finalmente, o Atlantis.

Durante os 30 anos de viagens a frota viu-se encolhida primeiro pelo desastre do Challenger em 1986, durante o lançamento da nave e anos mais tarde pela desintegração do Columbia durante a entrada na atmosfera. Nenhum astronauta saiu vivo das missões que se tornaram em dois momentos trágicos para a NASA.

“Não acho que a magnitude deste momento se vá abater sobre nós antes de as rodas [do vaivém] pararem na pista de aterragem”, disse Ferguson, citado pela BBC News. “Acho que não existem palavras capazes de capturar o quanto os últimos 30 anos do programa de vaivéns significam para todos os trabalhadores e para a tripulação.”

Quando chegar, o Atlantis vai ser reformado e ficará em exposição na Base Espacial Kennedy.

in Público.pt  (ver notícia original aqui)

~ por aia2009 em 4 de Julho de 2011.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: